Frutas e vegetais que cachorro pode comer: confira

0

Geralmente assimilamos uma dieta natural a algo saudável. O fato é que, nem sempre o que é benéfico para os seres humanos, tem o mesmo resultado no organismo dos animais de estimação. “Sempre verifique se o alimento que você pretende fornecer ao animal é seguro para alimentação do seu pet e, em caso de dúvida, é melhor não deixá-lo comer”, explica Dr. Jorge Morais, veterinário e diretor da rede de franquias Animal Place.

Entre os vegetais recomendados pelo Dr. Morais estão a cenoura, que auxilia na saúde oral; a alface e a couve, que são alimentos ricos em fibras e melhoram o trato intestinal; a beterraba e a abóbora. O profissional também afirma que frutas como a banana, o caju – sem a castanha-, o caqui, moderadamente pois é rico em carboidrato, a maçã, a pêra, a manga -sem a casca e o caroço-, o kiwi, a goiaba e o morango são excelentes para balancear a alimentação dos pets.

Já na lista de vegetais que devem sair do cardápio dos animais de estimação estão a pimenta, que favorece o surgimento de gastrite; a cebola, que ataca os glóbulos vermelhos do pet, gerando anemia profunda; e a batata crua, que contém substâncias tóxicas para o animal.

Já entre as frutas que eles não devem consumir estão o tomate, que pode causar arritmias cardíacas, salivação, diarreia e vômito; a laranja e as frutas cítricas no geral, o abacate, a carambola, o abacaxi e a uva, que pode levar a lesões renais.

O profissional também frisa que os cães e gatos são carnívoros por essência, mas que, tomando o devido cuidado, os vegetais e as frutas podem servir como petiscos ou como estratégias para a distração dos seus apetites vorazes.

“Não substitua a ração ou comida caseira por vegetais e frutas, eles devem ser apenas complemento à alimentação principal do animal”, explica Morais. “Os vegetais misturados na ração podem até mesmo ser uma boa alternativa para fazer os cães, que não são muito fãs do alimento principal, comerem, mas é sempre bom lembrar de consultar um veterinário para escolher a melhor e mais adequada dieta para o pet”, finaliza Dr. Jorge Morais.

Sem comentários

Deixe uma resposta