Cães idosos: amor triplicado

0

Descobri o trabalho da fotógrafa norte-americana Nancy LeVine por acaso, em uma pequena nota publicada em um jornal, e então resolvi pesquisar mais sobre ele e pude me deparar com os emocionantes registros fotográficos que ela faz. No projeto Senior Dogs Across America, Nancy percorre os Estados Unidos para fotografar os cães idosos, aqueles que, assim como acontece com os humanos, já viveram bastante, passaram por diferentes experiências – ao modo deles – e também têm muito a nos ensinar, especialmente sobre a forma de se viver um dia de cada vez, sem a ansiedade típica que nos acompanha.

A seguir você confere a entrevista que Nancy gentilmente concedeu a Leve Seu Cachorro, na qual nos conta um pouco mais sobre este lindo trabalho.

Cooper, 15 anos, NY/ Nancy LeVine
Cooper, 15 anos, NY/ Nancy LeVine

LSC: Primeiramente, você poderia nos contar quando e por que começou a fotografar os cachorros mais velhos? Houve alguma história especial que te motivou a fazer isso?

Nancy: Oito anos atrás eu comecei a viajar pelos EUA para fotografar os cachorros idosos e descobri cães vivendo de todas as maneiras dentro da vida norte-americana – e com muitos anos de idade marcados em seus corpos.

Meu interesse no mundo dos cachorros idosos começou quando meus dois cães começaram a ficar próximos do fim da vida. Foi numa época em que eu já tinha vivido o suficiente para começar a imaginar minha própria mortalidade. Entrei num mundo de graça onde os corpos que em algum momento já haviam expressado sua vibração estavam agora num caminho frágil.

LSC: Como você encontra os cachorros que fotografa? Existe uma pesquisa prévia antes de ir ou tudo acontece por acaso, durante os caminhos que percorre?

Nancy: Encontro os cachorros através de conexões dos amigos, veterinários, cuidadores de cães. Antes de fazer cada viagem tenho uma agenda definida, ainda que exista uma flexibilidade caso eu descubra outros cães naquela área.

Brebee,21 anos, e Nuny, 19 anos, Wyoming/Nancy LeVine
Brebee,21 anos, e Nuny, 19 anos, Wyoming/Nancy LeVine

LSC: Qual o cão mais velho que você fotografou?

Nancy: Ele tinha 22 anos. Vivia perto de Seattle, na Vashon Island.

LSC: Pensando sobre as histórias que você conheceu, você acredita que exista uma “receita” especial que possa fazer com que nossos amados cães vivam mais e mais, atingindo uma idade sênior?

Nancy: A receita que me pareceu consistente foi AMOR. Muitos dos cães não consumiam alimento especial nem nada do tipo, então eu senti que amor e devoção deram suporte a cada um daqueles cães.

LSC: O que as pessoas podem aprender com estes cães? O que você aprendeu?

Nancy: Percebi como o cão faz quando se aproxima do fim da vida: sem a dolorosa habilidade humana de projetar-se adiante e temer o inevitável, o cão simplesmente caminha a cada dia um novo passo da jornada. Ainda que seus passos possam se tornar mais difíceis e árduos, os cães ainda se movem a cada dia como sempre foram, continuam sendo eles mesmos naquele dia como nos dias anteriores.

Lulu, com 5 e 15 anos/NancyLeVine
Lulu, com 5 e 15 anos/NancyLeVine

LSC: Gostaria de mencionar algum caso especial?

Nancy: Eu AMEI todos estes cães, assim como seu espírito de amor e tenacidade para continuar seguindo em frente.

LSC: Como as pessoas podem conhecer mais sobre seu trabalho? Você tem planos de fotografar em outros países além dos Estados Unidos?

Nancy: Eu trabalho na maior parte do tempo nos Estados Unidos, mas estou aberta a visitar outros países para realizar trabalhos. Meu site é www.browneyesgallery.com  e convido a todos a visitarem a comunidade Senior Dogs Across America com Nancy LeVine no Facebook.

Por Janaina Gimael

* Para saber mais sobre o Projeto Senior Dogs Across America e encontrar mais fotos, visite o blog: http://seniordogsacrossamerica.wordpress.com/

 

 

Sem comentários

Deixe uma resposta